Série Violência, Cultura e Poder
Os livros desta série podem ser comprados via Internet através do site da editora FGV
A vila olímpica da verde-e-rosa
Autor: Maria Alice Rezende Gonçalves

"Mangueira teu cenário é uma beleza". Para fazer jus aos versos do poeta verde-e-rosa e criar um cenário favorável ao desenvolvimento dos jovens moradores da favela, o G.R.E.S. Estação Primeira de Mangueira desenvolveu uma série de projetos, entre os quais se destaca o Complexo Esportivo da Mangueira. São poucas as notícias sobre aqueles que se empenham em oferecer alternativas ao crime e à violência como modo de vida. Este livro analisa o envolvimento das escolas de samba nas políticas sociais e mostra como esse projeto, que conquistou reconhecimento internacional, vem ajudando a afastar crianças e adolescentes das ruas.

De olhos bem abertos: rede de tráfico em Copacabana
Autor: Luiz Fernando Almeida Pereira
Esse livro vem se conjugar com o que de melhor se produziu a respeito da temática da violência - tendo como paisagem o Rio de Janeiro - dentro das ciências sociais brasileiras. Relacionando tráfico e amizade, a partir de redes que compõem um cotidiano da cidade, Luiz Fernando produziu uma nova versão das relações entre traficantes e usuários de drogas, nesse que é o bairro de maior densidade populacional do município do Rio de Janeiro.
Integração perversa: pobreza e tráfico de drogas
Autor: Alba Zaluar
Nos textos aqui reunidos, Alba Zaluar procura diminuir a cegueira étnica e ideológica que sempre dominou as discussões sobre a violência urbana, a pobreza e o tráfico de drogas - sem dúvida, uma mistura explosiva que tornou tão difícil e desumana a vida dos habitantes das grandes cidades, atores involuntários da tragédia de uma guerra sem sentido e sem fim.
Torcer, lutar, ao inimigo massacrar: Raça Rubro-Negra!
Autor: Rodrigo de Araujo Monteiro
Quais as razões do fenômeno da violência dentro e fora dos estádios de futebol? O que move as torcidas jovens? Para desvendar a associação entre futebol e violência, Rodrigo de Araujo Monteiro conviveu durante oito meses com os integrantes da Raça Rubro-Negra, torcida organizada do Flamengo com mais de 50 mil membros em todo o país. O problema estaria na desilusão do jovem com a sociedade brasileira, inclusive com o futebol, nosso produto de maior sucesso internacional? Até que ponto isso refletiria a fragmentação da própria sociedade? Quais as alternativas para essa autodestruição? Estas são algumas das questões tratadas neste livro.
Violência e estilos de masculinidade
Autor: Fátima Regina Cechetto
No Brasil, mais de 80% dos atos considerados violentos atingem indivíduos do sexo masculino, dos quais jovens são as principais vítimas e agentes. Fugindo das explicações simplistas para uma possível conexão entre violência e masculinidade - desde os hormônios e o DNA masculinos, passando pelo instinto de preservação do macho provedor, até a pobreza - este livro adota uma abordagem inovadora ao estudar grupos de freqüentadores de bailes funk e charme e de praticantes de jiu-jítsu. E mostra ser impossível qualquer generalização com base no sexo, na idade e na classe social.